Skip navigation links
A PSP
A PSP Aconselha
Programas Especiais
Recrutamento
Armas e Explosivos
Segurança Privada
Galeria de Media
Logo
Optimizado para: IE7+ | firefox 1.5+ 1024 x 768
Skip navigation links
Surveys
Pictures
Documents
Lists
Untitled 1
Mensagem de Natal.aspx
Segurex2001.aspx
Politica de Privacidade.aspx
Programas Especiais

Idosos em Segurança

Apoio Idosos

Todos temos, homens e mulheres, não importando a idade, direito à segurança e a uma vida tranquila.

 

As alterações demográficas em Portugal desde os anos 60/70 demonstram um claro envelhecimento da população, assim como uma diminuição do índice da natalidade. O caminhar pela idade pode traduzir-se por algum isolamento social, com possíveis vulnerabilidades perante alguns fenómenos criminais.
A solidão representa atualmente um dos problemas mais frequentes da nossa sociedade, sobretudo ao nível das pessoas idosas, resultado do conceito de vida da sociedade moderna que tende a valorizar sobretudo o que é material, secundarizando a dimensão afetiva.


Este fator, associado a outros como doenças, incapacidade/limitações físicas e às fracas condições financeiras, constituem situações de risco, sendo necessário intervir de forma a localizar, determinar e sinalizar, os idosos que se encontrem em situações de risco, promovendo o seu encaminhamento para as instituições competentes.
A PSP possui como missão, entre outras, proteger, socorrer, auxiliar os cidadãos e defender e preservar os seus bens que se encontrem em situações de perigo. Entre os grupos de pessoas mais vulneráveis destacam-se as pessoas mais idosas, que normalmente mais isoladas e fragilizadas necessitam, com frequência, do apoio de terceiros. Decorrente dessa dependência social, aumenta as debilidades securitárias, cabendo à PSP reduzir o seu sentimento de insegurança e contribuir para a diminuição dos índices criminais de atos que vitimam especificamente este grupo de risco.
Para este efeito foi desenvolvido o programa “Apoio 65 – Idosos em segurança”, constituindo-se uma iniciativa do Ministério da Administração que envolve a PSP e que visa garantir as condições de segurança e tranquilidade das pessoas idosas e deste modo prevenir e a evitar situações de risco.

Com a implementação do Programa Integrado de Policiamento de Proximidade (PIPP) através da Diretiva Estratégica n.º 10/2006 de 15 de Maio e atualmente designado por Modelo Integrado de Policiamento de Proximidade (MIPP), e através da criação das Equipas de Proximidade e de Apoio à Vítima (EPAV), as quais são responsáveis pela segurança, prevenção e vigilância em áreas residenciais maioritariamente habitadas por cidadãos idosos, apoio às vítimas de crime e acompanhamento pós-vitimação e identificação de problemas que possam interferir na situação de segurança dos cidadãos.


Neste campo de ação e tendo por base a salvaguarda e proteção das pessoas mais idosas e dos seus bens, a PSP têm efetuado uma crescente aposta em ações de sensibilização junto da comunidade de forma a consciencializar os mais idosos, bem como aconselhar a adoção de medidas preventivas e comportamentos de autoproteção, quer em casa, transportes públicos e na via pública, no intuito de diminuir situações de risco, prevenir e evitar burlas/furtos/roubos, e conseguir deste modo conferir um maior sentimento de segurança.

No desenvolvimento do Programa Idosos em Segurança, a PSP tem vindo a realizar parcerias formais e informais com autarquias, entidades de solidariedade social, entidades de saúde e instituições particulares, no sentido de prestar o apoio e encaminhamento adequados aos cidadãos idosos.

Deste modo, em 2013, reforçou-se o policiamento nas áreas maioritariamente habitadas e frequentadas por idosos, estabelecendo uma relação de empatia e confiança entre os idosos e a PSP e facilitando também os contactos com diversas entidades.
Foram estabelecidas novas parcerias formais e informais entre a PSP e as autarquias, entidades de apoio social, entidades de saúde e instituições particulares de solidariedade social.

AÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO REALIZADAS NO ÂMBITO DO PROGRAMA "APOIO 65 - IDOSOS EM SEGURANÇA" 

2010

2011

2012

2013

Total

805

1303

2042

2116

6266

 

 

 

 Desta forma e inserido no MIPP é possível aferir que nos últimos quatro anos foram efetuadas 6.266 ações de sensibilização junto deste público, sendo que em 2010 foram realizadas 805, no ano de 2011 foram efetuadas 1.303 ações (aumento de 61,8%), no ano de 2012 foram realizadas 2.042 ações de sensibilização/formação, o que representa um aumento de 56,7% face ao ano anterior, e relativamente ao ano de 2013 foram contabilizadas 2.116 ações de prevenção criminal, verificando-se um aumento de 3,6% face ao ano de 2012.

 

  

A SOLIDARIEDADE NÃO TEM IDADE - A PSP COM OS IDOSOS
O Ano 2012 consagra-se como o Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações (AEEASG), encerrando propósitos de gerar melhores condições de envolvência dos idosos no pulsar social, dirimindo conjeturas de exclusão social como providenciado os apoios sociais necessários que facilitem a sua integração.

A temática dos idosos, concretamente os riscos que lhe estão associados, dado à vulnerabilidade que torna a população idosa propensa à vitimação por crimes contra o património (roubo, burla, extorsão), contra a liberdade pessoal (ameaça, coação, sequestro) e contra a integridade física (ofensas à integridade física, violência doméstica, maus-tratos), associado a outros fatores de risco como o isolamento, conjeturas de abandono e a consequente decadência das condições de vida, integra preocupação acrescida para a PSP, sobrelevando-se como um dos objetivos primaciais do Modelo Integrado de Policiamento de Proximidade (MIPP).


O projeto “A Solidariedade não tem idade – A PSP Com os Idosos”, encontra a sua sustentação técnico-conceptual através da Diretiva Operacional n.º 10/2012 de 24MAI2012.


Este programa assenta nos resultados dos Censos 2011 em que a população idosa em Portugal (+65 anos) representa cerca de 19% da população total. Sendo que na última década, o número de pessoas idosas a viver sozinhas ou a residir exclusivamente com outras pessoas com 65 ou mais anos aumentou cerca de 28%. Deste modo e verificando que entre 2001 e 2011 houve um aumento exponencial de situações propensas ao isolamento social, principalmente, população com as características acima mencionadas.

Foi este contexto que fundamentou a implementação deste projeto, sendo a sua missão: 
- Determinar o número de idosos em risco que existam na área de responsabilidade da PSP;
    - Apurar a localização de idosos que residem na companhia exclusiva de pessoas idosas, e que em simultâneo, estejam em situações de risco;
    - Sinalizar junto das entidades competentes, as conjunturas que induzam ao recurso de apoio urgente, processando o encaminhamento do idoso;
    - Alvitrar parcerias com entidades que possam, de alguma forma, minimizar o hiato temporal que o idoso passa em solidão;
    - Desenvolver junto da população idosa um incremento do sentimento de segurança, através de uma maior presença policial nas áreas com maior índice de ilícitos criminais cometidos contra os mesmos, bem como nas áreas onde exista maior concentração desta faixa etária.
Na imprescindível avaliação de risco a efetivar deverão ser ponderados os seguintes fatores de risco:
- Vítimas (reiteradas) de crimes;
- Insuficiência económico-financeira;
- Falta de autonomia (deficiências físicas e/ou mentais);
- Quadro clínico grave (falta de acompanhamento médico e familiar);
- Exclusão social completa (enclausura no domicílio);
- Ausência de rede de contatos (ninguém a quem recorrer em caso de necessidade/urgência como familiares ou vizinhos).

Nº DE IDOSOS CONTROLOADOS E EM SITUAÇÃO DE RISCO NO ÂMBITO DO PROJECTO "A SOLIDARIEDADE NÃO TEM IDADE - A PSP COM OS IDOSOS".

 

N.º de Idosos identificados

N.º Idosos em situação de risco

2012*

6.821

1.522

2013

4.713

1.312

TOTAL

11.534

2.834

 

 

 

 

 

 

*Dados referentes de junho a dezembro

 No âmbito deste programa e dado que este foi apenas implementado a Junho de 2012, verifica-se que em 17 meses a Polícia de Segurança Pública identificou cerca de 11.534 pessoas idosas das quais 2.8340 se encontram em situação de risco, tendo em conta os critérios acima mencionados.

Destes dados é possível apurar que foram controlados mensalmente cerca de 678 idosos e sinalizados cerca de 167 ou, se se optar por cálculos diários, foram identificados diariamente 23 idosos e sinalizados 6 idosos por dia, devido a encontrarem-se em situação de risco.

 parceria CESIS
No âmbito da Prevenção e em especial no âmbito da prevenção da violência doméstica, a PSP estabeleceu uma parceria com o Centro de Estudos para a Intervenção Social (CESIS), decorrendo no passado dia 27 de Fevereiro, no auditório do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna, uma ação de formação, direcionada para elementos policiais, e subordinada ao tema Violência contra as mulheres Idosas em Relações de Intimidade, a qual teve como objetivos:
-  Conhecer a incidência e a prevalência da violência contra mulheres idosas no contexto das famílias;
-  Compreender as questões relacionadas com o género e a idade e dinâmicas subjacentes à violência;
-  Familiarizar-se com os fatores de risco e as causas sociais/estruturais;
-  Habilitar os elementos das forças policiais a abordar o problema com a mulher idosa, vítima de violência;
-  Sensibilizar os elementos das forças policiais quanto à dificuldades e dotar de eventuais estratégias a utilizar;
-  Reconhecer a importância da cooperação multiprofissional e identificar entidades parceiras.


N.º DE CRIMES PARTICIPADOS/DENUNCIADOS À PSP (Vítimas com 65 ou mais anos de idade) COM A APLICAÇÂO DOS CRITÉRIOS DA DGPJ
 

2010

2011

2012

2013*

TOTAL

16. 860

18.382

17.764

8.176

61.182

 

 

 

 

*Nº de crimes denunciados/participados até ao 1º semestre de 2013.

•  Notação estatística dos crimes mais participados/denunciados
-  Furto por carteirista
-  Roubo por esticão
-  Furto em residência com arrombamento, escalamento ou chaves falsas
-  Outros furtos
-  Furto em veículo motorizado
-  Furto de veículo motorizado
-  Ofensa à integridade física voluntária simples
-  Outro dano
-  Outras burlas
-  Roubo a pessoas na via pública (excepto esticão)

•  Modus Operandi de Burlas mais comuns, furtos e roubos em residências e respetivos conselhos de segurança.

a) Falsa Herança ou Doação
O modus Operandi conhecido por “falsa herança ou doação”, é praticado em regra por dois indivíduos. Um dos indivíduos aborda, na via pública, a potencial vítima, encetando conversa alegando procurar um local físico específico (consultório de médico ou advogado, escritório de empresa de construção civil) e astuciosamente refere que transporta elevada quantia monetária, invariavelmente de familiar morto ou doente, mencionado é que a última vontade do mesmo deixar parte de disponível de herança ou doar o dinheiro à pessoa simula procurar. No desenrolar desta conversa aparece o segundo suspeito que, para compor a farsa, refere que conhecia a pessoa que o primeiro procura e que esta já faleceu. Perante a observação desenvolve-se o resto da estória, sempre sob a perspectiva de avaliar a credibilidade, de modo a convencer a vítima a trazer/levantar da sua conta bancária elevada soma monetária, que astuciosamente, trocam por sacos com jornais no interior, ou notas fotocopiadas.

Alguns Conselhos de Prevenção
1.
  Quando o interlocutor lhe é de qualquer forma desconhecido, tente sempre observar bem o que lhe rodeia e memorize a sua descrição física (altura, sexo, raça, cabelo, cor olhos, bigode, barba, óculos, etc.), bem como vestuário (tipo de roupa, cores, etc.). Atente ainda nos sinais particulares (tatuagens, sinais, «piercings», deficiências, etc.), na pronúncia e/ou nacionalidade e o veículo com o transporta (matrícula, marca, modelo e cor);
2.  Não confie em estranhos bem-falantes e cheio de boas intenções, principalmente quando lhe propõem o lucro fácil;
3.  Quando é abordado numa situação como a descrita tente sempre chamar um vizinho/conhecido para junto de si, não se esqueça que é sempre mais fácil enganar uma pessoa que duas, além de que está fica sempre com a sensação de apoio, a contrastar com quem não está com boas intenções;
4.  Nunca confie em boas intenções de terceiras pessoas que o seu interlocutor possa chamar à conversa, bem como outras pessoas que oportunamente se possam intrometer na conversa;
5.  Quando estiver na dúvida não hesite em contactar a força policial da área;
6.  Não faça qualquer troca sem assegurar o que recebe.

 

b)  Falsos Funcionários
Os ilícitos utilizando este modus operandi são vulgarmente praticados por um indivíduo isolado. O indivíduo apresenta-se às vítimas como funcionário de uma instituição pública (funcionário de Câmara Municipal da área, das Finanças, Bombeiro, etc.), empresa prestadora de serviços de segurança (qualquer empresa constituída ou fictícia relaciona com a manutenção de extintores) ou ainda empresa facilmente reconhecida, quer a nível nacional, quer a nível local. Depois acaba por simular a prestação do serviço, ou a uma retirada estratégica do local, ou ainda a realização de uma qualquer facilidade, algumas de carácter ilícito (pagamento para não fiscalização de local) para obter vantagem pecuniária.

Alguns Conselhos de Prevenção
1.
  Quando o interlocutor lhe é de qualquer forma desconhecido, tente sempre observar bem o que lhe rodeia e memorize o número de indivíduos e sua descrição física (altura, sexo, raça, cabelo, cor olhos, bigode, barba, óculos, etc.), bem como vestuário (tipo de roupa, cores, etc.). Atente ainda nos sinais particulares (tatuagens, sinais, «piercings», deficiências, etc.), na pronúncia e/ou nacionalidade;
2.  Ter em atenção que os uniformes não chegam para garantir a identidade de uma pessoa que se apresenta à porta de cada casa alegando ser funcionário de qualquer entidade, pelo que deverá sempre sempre pedir a cabal identificação a quem se apresenta (cartão de funcionário que deverá ter fotografia, nome e número);
3.  Quando é abordado numa situação destas tente sempre chamar um vizinho/conhecido para junto de si, não se esqueça que é sempre mais fácil enganar uma pessoa que duas, além de que está fica sempre com a sensação de apoio, a contrastar com quem não está com boas intenções;
4.  Nenhuma das grandes empresas de serviços (electricidade, comunicações, serviços de água) faz cobranças ao domicílio, seja por serviços prestados sejam por avarias técnicas;
5.  Nunca pague qualquer valor sem assegurar junto da suposta entidade fornecedora;
6.  Nunca confie na divulgação de eventuais avarias feitas por quem lhe aparece à porta;
7.  Quando estiver na dúvida não hesite em contactar a força policial da área.
  

 Idosos

 c)  Falso amigo/familiar
Este modus operandi são vulgarmente praticados por indivíduos a actuar sozinhos ou em grupo (2/3 pessoas no máximo/total). O indivíduo apresenta-se às vítimas como familiar (sobrinho, primo, etc.) sempre com palavras vagas e frases onde predominam as interrogações, de modo a tentar obter informação que lhe possa ser útil para assumir identidade de familiar. De seguida engendram estória de modo a obter vantagem pecuniária, seja através de solicitação de empréstimo sob diversas desculpas (outros familiares doentes, reparação urgente de viatura, etc), também através de convites e ofertas encapotadas e supostamente extremamente vantajosas, que pressupõem um pagamento, ou ainda com a desculpa de ver os artigos em ouro que transportam consigo e que astuciosamente subtraem. 
 
Alguns Conselhos de Prevenção
1.
  Quando alguém se lhe apresenta como familiar, conhecido de familiar ou de terceira pessoa com quem priva, não hesite em contactar essa pessoa para assegurar a veracidade da estória que lhe está a ser contada;
2.  Nunca entregue dinheiro ou objectos a qualquer pessoa sem antes confirmar;
3.  Quando o interlocutor lhe é de qualquer forma desconhecido, tente sempre observar bem o que lhe rodeia e memorize o número de indivíduos e sua descrição física (altura, sexo, raça, cabelo, cor olhos, bigode, barba, óculos, etc.), bem como vestuário (tipo de roupa, cores, etc.). Atente ainda nos sinais particulares (tatuagens, sinais «piercings», deficiências, etc.), na pronúncia e/ou nacionalidade;
4.  Evite andar com elevados valores pecuniários bem como com artigos em ouro demasiados expostos e visíveis;
5.  Quando estiver na dúvida não hesite em contactar a força policial da área. 

 

 

2.1. Furto
Os autores dos ilícitos actuam em co-autoria, dado que os crimes são praticados em comunhão de esforços que aproveitando um momento de distracção praticam os furtos.

Locais de Actuação
•  Os autores deste tipo de ilícitos privilegiam os estabelecimentos comerciais de restauração e bebidas e as zonas de restauração existentes nos centros comerciais. Estes espaços são favorecidos pelo grande aglomerado de pessoas, permitindo uma fácil e rápida circulação, bem como executar os ilícitos criminais sem levantar qualquer suspeita;
•  Os aeroportos e os pontos de embarque de transportes públicos, onde se concentram aglomerados de pessoas, são também locais onde se registam com frequências crimes de furto.

 Concretização dos ilícitos criminais
Após seleccionarem o alvo, que normalmente é alguém que tem a mala ou casaco pendurado nas costas da cadeira ou carteira, dirigem-se para a mesa mais próxima e um dos suspeitos fica sentado com a costas viradas para a vítima e aproveitando o facto da proximidade e a distracção da vítima, sub-repticiamente subtrai a carteira aposta na mala/casaco, enquanto os outros co-autores vigiam os movimentos do lesado, de seguida os suspeitos levantam-se e abandonam o estabelecimento comercial.

Alguns Conselhos de Prevenção
•  Mantenha sempre junto a si os seus bens;
•  As senhoras devem manter em todo o tempo as malas devidamente fechadas;
•  Deve redobrar a atenção em locais em que existe um maior aglomerado de pessoas, p. ex. entradas e saídas dos transportes públicos.

 

2.2 Roubo de Residência
Tem-se verificado no decurso do corrente ano diversas ocorrências de roubos a residência, bem como o aumentodo nível de violência empregue na concretização destes ilícitos.
Os episódios criminais têm sido perpetrados um pouco por todo o país, a s vitimas são preferencialmente de idadesuperior a 60 anos em regra é praticado com recurso a agressões físicas ou com utilização de armas (armas de fogo e armas brancas).

Alguns Conselhos de Prevenção
•  Confira o estado das portas e janelas da sua casa, se os caixilhos das janelas, ar condicionado ou outros equipamentos estão bem fixos. O bom estado previne o fácil arrombamento;
•  Utilize fechaduras interiores de várias entradas e não deixe chaves no lado de fora, em lugares como debaixo do tapete, dentro do vaso ou outro local de relativo fácil acesso;
•  Não deixe as portas abertas, mesmo que só para se deslocar à caixa de correio ou despejar o lixo. O tempo necessário para introdução numa residência é muito curto;
•  Guarde os objectos de valor elevado em sítios fechados, com segurança ou deposite-os em instituições bancárias;
•  Tenha sempre à mão os números de telefone de socorro (112) e da esquadra policial mais próxima;
•  Não enfrente os assaltantes. Tente manter-se calmo sem discutir e memorize o máximo de sinais e informações que consiga (idade, altura, sexo, etnia, cabelo, barba, bigode, cor dos olhos, óculos, tatuagens, sinais particulares, cicatrizes, piercings, brincos, roupas, deficiências, etc.), bem como se se fazem transportar num veículo (tipo, marca, modelo, cor, matricula, direcção tomada, número de ocupantes, etc.);
•  Se tiver dinheiro em casa, divida-o por diversos sítios. A quantia encontrada pode ser a suficiente ou pode não haver tempo para revistar o resto da casa e, assim, evitar maiores perdas;
•  Se baterem à porta, pergunte sempre quem é. Se possível, confira-o pelo olho da porta ou indo à janela superior ao nível de quem está a bater, fora do seu alcance antes de abrir;
•  Verifique, através do óculo, a identificação da pessoa. Todos os funcionários credenciados têm identificação. Todos os Polícias estão identificados;
•  Se desconfiar, não abra. Informe para passarem mais tarde. Troque impressões com alguém de confiança. Nunca divulgue que está sozinho(a) em casa ou quantas pessoas aí se encontram;
•  Dê a entender que se encontra acompanhado, mesmo encontrando-se só. Por ex. "Aguarde um minuto que vou chamar o meu filho";
•  Anote o nome da pessoa se esta o disser e assente o número da chapa de matrícula. Informe a Polícia dessa situação;
•  Informe a Polícia e fale com os seus vizinhos, sempre que se aperceber de pessoas estranhas nas redondezas, a vigiar ou em algum ato estranho;
•  Toda e qualquer situação anómala devem ser de imediato reportadas às autoridades.
 

 Mais 65

 

Links Úteis  ::   Mapa do Sítio  ::   Webmail  ::   Portal Social  ::   YouTube  ::   Facebook  ::   Twitter  ::   Contacte-nos
Desenvolvido por Wiz | Polícia de Segurança Pública © todos os direitos reservados | MAI
Politica de Privacidade
COMPETE QREN MAI RNSI Símbolo de Acessibilidade na Web
Carro